Domingo, 12 de Julho de 2009

O tema mais dificil...

 

- Mãe... prometes não ficar zangada?
A mãe olhou para ele, quase encolhido à beira da porta. Não vinha dali boa coisa, pensou.
- Zangada? Bem... depende, não é? Deveria ficar zangada?
O filho acenou afirmativamente com a cabeça.
- ... Recebemos hoje os resultados daquela prova... lembras-te ? ... Aquela da composição...
- A composição? Claro que me lembro... foi das poucas ocasiões em que eu te vi a estudar...
- Pois... mas olha... a turma toda, não fui só eu... os resultados, sabes...
- Desembucha, filho, que me estás a deixar nervosa. Mas afinal o que aconteceu?
- Eu tive... zero.
A mãe abriu a boca de espanto. Seria possível conseguir “zero” numa composição em Português ? Pelo menos a caligrafia bonita do filho deveria merecer alguns pontos de bónus...
- Zero? – repetiu ela – Como assim, zero? Como é possível apanhar zero a redigir uma composição ? Tiveste assim tantos erros?
O filho abanou a cabeça, derrotado.
- Eu... eu... não conseguia pensar em nada...
- Mas filho... tu estudaste tanto... todos aqueles autores que a professora disse que eram importantes... eu vi-te sempre agarrado aos livros... o que é que correu mal?
- ... Foi o tema, mãe, foi o tema... não saiu nada daquilo que a gente estava à espera...
- O tema? Então qual foi o tema que saiu? Se foi alguma coisa que vocês ainda não falaram, eu vou lá à escola e faço...
- O tema, mãe... era Tema Livre.
- Tema Livre? Então vocês podiam escrever sobre o que quisessem?
O filho concordou, sem palavras.
- E tu... tu não escreveste nada?
- Não... nem uma palavra... só de pensar que não era nada que eu tivesse estudado... fiquei... petrificado.
E correndo para a mãe, agarrou-se-lhe à cintura, a cara escondida no avental, uma lágrima rebelde a assomar ao canto dos olhos...

 

publicado por entremares às 22:21
link do post | comentar | favorito
47 comentários:
De libel a 13 de Julho de 2009 às 10:47
Normalmente as histórias são formas suaves de chamarmos a atenção sobre os problemas, ou de fazer recomendações, ou de fazer ver o bem e o mal, às crianças, mas o mais engraçado é que nós adultos (eu por exemplo)...fico fascinada com qualquer história, seja ela encantada ou não!!..pois aprendemos imenso com elas.
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 12:52
Olá libel, bemvinda a esta "folha em branco"...
É verdade, as histórias não são só para as crianças... mas se com as histórias, pudermos ir "despertando alguma coisa" dentro de cada um... então já valeu a pena.

Uma óptima semana.
De Patricia Rocha a 13 de Julho de 2009 às 13:32
Que visita agradável e "compreensiva"... Seja sempre bem vindo!!!
abraços
Patricia
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 15:44
Obrigado, Patricia, pela simpatia.
Será sempre bemvinda.

Uma óptima semana para si.
De escrevo palavras e choro poemas a 13 de Julho de 2009 às 14:59
Lindo, inteligente,reflexivo...esse texto fala muito, as vezes quando a vida nos da asas, temos medo de voar, essa foi a msg q esse texto me passou.
Vim te agradecer o carinho do lindo texto q vc postou pra mim, a historia da pricesa Aurora, as vezes temos realmente q ter coragem para mudar o rumo da nossa historia. Obrigada ta! amei !!sua participação foi muito importante pra mim, seus textos me tocam profundamente.bj*
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 15:48
Tal como a princesa Aurora, só espero que possamos todos modificar o nosso "quase destino". E espero que possamos fazer da folha em branco a melhor das pinturas...

Todos merecemos, não é?

Beijos. Volte sempre.
De Picos a 13 de Julho de 2009 às 15:19
“Estaremos assim tão mal na arte de improvisar?”
“É verdade, a sede de "papéis em branco" é enorme. O mundo tem demasiadas cores para que andemos sempre a repetir histórias a preto-e-branco...”
Neste momento estou como suplente aos Exames de hoje e veio uma colega de departamento pedir-me material de desenho/pintura para um aluno que veio fazer o exame de Desenho A. Pergunto-me, será que veio improvisar a arte da ausência?
Respondo, tudo é Arte, tudo é cor, só precisamos de Luz seja ela natural, artificial ou de uma “LuZ criativa”!
Sede de “Papeis em branco”, também é uma excelente visão, quando podemos ter, ou melhor quando a vida nos permite novas oportunidades, sabendo em consciência que o difícil é desfrutar do “novo momento em branco”…. Que bom é Criar!
Que bom ler-te.
Beijos
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 15:51
Como tens razão... " Que bom é criar"...

A magia está no acontecer, naquele clique mágico de quando se toca a "luz", quando pousamos o lápis no papel e os olhos brilham, antecipando o prazer da criação.

Prazer imenso, este...

Volta sempre.
De Sostrova a 13 de Julho de 2009 às 15:35
A Liberdade é um desafio dos mais dificeis de vencer!!!! Mas mesmo assim vale a pena.
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 15:52
A Liberdade?

E existirá melhor aroma que a Liberdade?

Obrigado pela visita.
De Sara a 13 de Julho de 2009 às 16:55
Pois é incrível como por vezes nos sentimos intimidados por uma folha em branco ou por podermos dar "asas á nossa imaginação "!

A sociedade de hoje infelizmente está demasiadamente esquematizada , no sentido em que somos desde tenra idade "programados"/ensinados a agir de uma certa forma... até ao momento em que nos dão a liberdade de nos exprimir livremente e muitos acabam por bloquear :(

Aproveito para confessar... que adoro folhas em branco ;) por vezes podem intimidar-me ou deixo-me intimidar por elas... mas quando dou largas á minha imaginação e deixo as palavras soltas no bico da caneta... é difícil parar!

E prontos já me estou a esticar no comentário, mas aproveito para te dar os "Parabéns" por tantas opiniões de pessoas amigas que recebeste neste post :D

Um beijo
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 17:29
Oi Sara, bemvinda ao cantinho das " folhas em branco"...

E concordo contigo, às vezes são um pouco intimidantes... mas vou confessar-te uma coisa; eu sei que todos nós temos "manias"... é certo, pronto, uma das minhas é não resistir a comprar cadernos, blocos de notas, canetas, muitas canetas... enfim...

Mas depois de começarmos... é dificil de parar de escrever, não é?

Beijos.
De Regina d'Ávila a 13 de Julho de 2009 às 17:02
Rolando,
Este seu post está perfeito para o Tertúlia deste mês (última Tertulia que será depois de amanhã),pois como é Tema livre..está todo mundo perdido...kkkkkkk...hahahahaha
Bjssssssssssssssssss
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 17:31
Oi, Regina... agora é que você me "encrencou"... ainda não tinha pensado no assunto... mas tenho que reconhecer... que você está cheia de razão...

Que melhor post para o tema livre da tertúlia que o Tema livre?

Beijos.

PS. E o seu texto da tertúlia, já tem ideia do que vai ser?
De Regina d'Ávila a 13 de Julho de 2009 às 17:44
Não..estou exatamente igual ao seu personagem..kkkkk
Perdidinha...kkkk...hahahahaha
"Não... nem uma palavra... só de pensar que não era nada que eu tivesse estudado... fiquei... petrificado."
Estou petrificada..kkkkkk
Super beijossssssssssssssss
De Óscarito a 13 de Julho de 2009 às 17:34
A surpresa de uma situação destas está onde? em quê?
Há quantos anos as crianças estão habituadas a ver bonecada em vez de ler? E de pensar? E de fazer cálculos com maquinetas em vez de "espremer as meninges"?
As brincadeiras (de rua e outras) são substituídas pelas MSN's, mesmo que habitem lado a lado. E até nas mensagens têm uma escrita própria por dá muito trabalho escrever uma palavra completa e correcta numa frase também correcta.
Por estas (e outras) razões é que não me surpreende o que expões neste teu post!
Abraço/Oscar
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 18:00
Oi, Óscar, sejas bem aparecido...

Às vezes, ponho-me a pensar em estratégias.... o que teria eu que inventar, se fosse um professor da escola primária... e não sei bem o que faria. O que farias ?
Como estimular a criatividade das crianças? Como deixá-las desejosas de riscar "folhas em branco" ?

Aceitam-se sugestões, não é ?

Um grande abraço.
De Priscila a 13 de Julho de 2009 às 18:19
Muito obrigadapela sua visita, adorei o tesouro de texto que me deixou lá, agradeço muito!
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 19:43
Oi, Priscila, obrigado pela sua visita também.
Volte sempre.
De miriam a 13 de Julho de 2009 às 18:59
Que lindo conto!
Desde pequeno não sabemos o quye fazer com a liberdade!
Ou ainda com o vazio?
E tem tambem quem mal entende...
Fez-me lembra, o dia ao buscar meu filho mais novo no colegio, chega todo alegre com a prova de matematica onde tirou nota 3.
_ E isso é nopta boa, meu filho?
_ Claro, mãe. Nas outras, tirei zero. Nesta acertei 3 questões, dizia ele todo feliz.
Tive que concordar.
Tudo é uma questão de ponto de vista!
beijos de além mar.
Miriam
De entremares a 13 de Julho de 2009 às 19:45
Miriam... depende sempre do ponto de vista, não é?
E as crianças estão sempre a surpreender-nos com os seus pontos de vista ( o seu filho também, já percebi )

Ainda bem que há criatividade.

Beijos.( cá deste lado )

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.links

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds