Segunda-feira, 27 de Julho de 2009

Era uma vez um Mestre - II

 

 

Certo dia, o rei requisitou a presença do Mestre à sua presença.
- Vossa majestade… - cumprimentou o Mestre, com um vénia - chamaste-me à vossa presença…
- Chamei sim, Mestre… preciso de um conselho vosso… vinde, vamos caminhar um pouco…
Saíram os dois para o jardim.
- Mestre… -começou o rei - já me conheceis há muito tempo… e sabeis que tenho tentado, ao longo de toda a minha vida, fazer o melhor para o reino…
- É verdade, majestade… temos vivido tempos de grande prosperidade…
- Sim, Mestre… prosperidade… e também paz. Os campos são generosos, o gado aumenta a cada dia que passa, os aldeões não passam fome… mas não é sobre isso que preciso do vosso conselho…
O Mestre sorriu, como se quisesse transmitir-lhe algo.
- Mas também suponho que havíeis percebido isso…
- Majestade… não seria correcto da minha parte antecipar-me às vossas palavras…
Foi a vez do rei se deixar rir, bem disposto.
- Mestre… na verdade, vós sois… único. Mas adiante… não vos quero tomar mais tempo que o necessário… preciso da vossa opinião sobre a minha sucessão…
- Um assunto delicado, majestade…
O rei perdeu o sorriso. A sucessão ao trono era, na verdade, um assunto delicado. Não por deixar em causa a continuação da linhagem ou a segurança do reino… mas simplesmente por ter que decidir entre quais dos seus dois filhos gémeos… pesaria o fardo da coroa.
- São os dois uns óptimos filhos… ambos plenos de virtudes e bons amigos… o que me deixa deveras apreensivo… necessito da vossa opinião, Mestre…
- Majestade… não sei como vos poderei ajudar, em tão delicada escolha… mas decerto haveis já reflectido bastante sobre o assunto…
- Reflectir? Mestre… se houvera uma guerra com algum dos nossos vizinhos, eu entregaria de olhos fechados o reino ao príncipe Alberto, o melhor cavaleiro que este reino já conheceu… mas se precisasse de transformar uma ruína num palácio, ou multiplicar uma semente por cem… eu escolheria sem a menor dúvida o príncipe Damião…
- Uma escolha difícil, majestade… uma vez que as virtudes se completam…
- Mestre… se eu pudesse … ambos são o sucessor perfeito… e ainda por cima, são excelentes amigos, para minha paz e fortuna.
O Mestre sorriu de novo, e estendeu o dedo na direcção do rei.
- Majestade… vós sois na verdade deveras perspicaz… acredito que já haveis descoberto a vossa resposta…
- Já descobri? Mas eu…
O mestre continuou a sorrir, os olhos brilhantes. O rei deixou-se contagiar por aquele brilho e passando a mão pela barba grisalha, murmurou:
- Mestre… creio que me haveis dado uma excelente ideia…
 
O mestre abanou a cabeça, afirmativamente. Afinal de contas, que importância teria de onde partisse a ideia?
- Majestade… sempre haveis sido um monarca justo e sensato … nunca duvidei que a vossa escolha fosse a mais sábia …

 

 

 

publicado por entremares às 10:20
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Era uma vez um Mestre - I...

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds