Sábado, 9 de Janeiro de 2010

Um novo destino

 

Novo endereço do ENTREMARES:

 http://www.entremares-entremares.blogspot.com/

 

 

Nunca se sentira verdadeiramente homem.
Nem mulher.
 
Durante muito tempo, interrogara-se sobre a possibilidade de não ser nem uma coisa nem outra. Seria possível?
Não se recordava de nascer – quem se recorda? – mas sempre acreditou nas palavras incrédulas da mãe – claro que és um homem, nasceste um homem, eu estava lá, sabes? Eu vi-te sair de dentro de mim...
Mas também não se sentia mulher, à excepção porventura de uma sensibilidade mais apurada, de uma meiguice que o olhar não conseguia disfarçar. Talvez por isso mesmo tivesse optado por deixar crescer a barba – um pouco para equilibrar todos os pratos da sua estranha balança.
 
E então, por vezes, sobrevinha... aquela dor. Uma dor imensa, rasgando-lhe as entranhas, como se algo o estivesse a dilacerar por dentro, cortando a carne com uma lâmina em brasa. Sentia o fogo a subir-lhe nas veias, o pulso disparando, a vista toldava-se e quase sempre acabava por cair inanimado no chão, como morto.
Os médicos, peremptórios, garantiam: stress... você tem é stress, devia repousar um pouco mais...
 
Naquele momento, percebeu que a dor se avizinhava de novo. Acabara de sair do banho, ainda nu, frente ao espelho.
O primeiro impacto lançou-o ao chão, dobrado sobre si mesmo, o abdómem contraido num espasmo violento que ia aumentando, aumentando... como se as próprias entranhas quisessem aflorar à superfície da pele. Depois o fogo... aquele calor desmedido que lhe apertava a garganta, impediando-o de respirar. A cabeça tombou, sentiu que a alma se descolava do corpo, os membros deixaram de lhe obedecer.
O mundo, tal como sempre o conhecera, transformou-se numa amálgama de cinzentos, pontilhado de luzes estranhas.
Com a última réstea de vontade, crispou as mãos, tentando resistir à inconsciência sedutora que o assaltava.
Não conseguiu.
 
A metamorfose, lenta e inexorável, começara.
A pele adquiriu uma consistência gelatinosa, esbranquiçada, a forma dos membros diluindo-se vagarosamente, os dedos escorrendo gotas de seiva – outrora sangue – enquanto o olhar vítreo se ia apagando.
 
Ao longe, o murmúrio da água corrente assemelhava-se a um rio indómito, correndo voraz pela montanha. E a luz? Aquela estranha luminescência... donde provinha?
 
Abriu os olhos.
O espelho não lhe refletiu o olhar.
Simplesmente um bater de asas colorido, uma borboleta castanha e dourada, de asas ainda húmidas e trémulas.
Tentou recordar-se de um passado qualquer, mas nada lhe veio à memória, simplesmente o som gotejante da água, ainda pingando da torneira.
Uma massa informe, no chão, não lhe despertou a atenção.
Bateu as asas, pela primeira vez, e saboreou a sensação estranha de se sentir leve, mais leve que o próprio ar.
Olhou uma última vez para o espelho.
Sabia que devia recordar algo... só não sabia o quê.
 
Segundos depois.... partiu. Um dia de vida, era simplesmente o que tinha pela frente, um dia de vida, a vida de uma borboleta. Não sobrava tempo para dúvidas, questões, suposições. Precisava de voar, cumprir um destino, mesmo sem saber exactamente qual.
Um dia de vida.
 
- Que seja intenso, pelo menos – pensou, enquanto se afastava rumo ao verde dos campos.
 

 

tags:
publicado por entremares às 22:59
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De mfc a 10 de Janeiro de 2010 às 21:43
Sorver a vida... avidamente! Sempre.

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds