Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2009

O que fazer?

 

 E de repente, você acorda e vê que tudo mudou...

 

E então...o que fazer ?
Quando algo nos pega de surpresa ... Algo que tira todas tuas certezas, aquelas todas que você confiava já saber por “certezas inabaladas “e joga-as ao chão... algo que nunca imaginamos querer ou fazer e que de repente passa a ser o seu mais profundo desejo... Passa ser o que você mais cobiçou desde criança, só que ainda não sabia...
O que fazer quando medo é coragem, quando seu estomago é habitado por borboletas e você já não sabe se é alegria, receio, ansiedade... ou tudo isso junto... Se tudo que você sempre deu valor não faz mais nenhum sentido, e o que antes era loucura passou a se chamar esperança e vontade. Quando você passa a escutar os recados da lua...
O que fazer quando você olha seu mundo, mas não mais o reconhece como seu? Quando tudo que um dia você conheceu como aventura passa a ser o mais real e verdadeiro porto seguro? Quando todos os livros, que leu, passam a fazer sentido? Quando todas as poesias flutuam por sua mente te dando equilíbrio no ar, sem ao menos uma corda bamba.
O que fazer quando o espelho não mais reconhece seu sorriso? Quando o brilho do seu olhar transcende a máscara de outrora? Quando esta máscara já marcou sua face, mas insiste em querer cair? Seu rosto quer respirar, quer mostrar a felicidade nele estampada...
O que fazer quando não existem mais palavras para descrever tudo que sonhas e pensas? Sua mão suspensa entre a caneta e o papel e a mente insistindo em voar? E você se perde entre o certo e o errado...entre o bem e o mal...entre o visível e o invisível...
O que fazer quando você não é mais você...ou será que agora é você?
O que fazer?

 

Nota: Por vezes, as palavras de outros levam-nos a redescobrir as nossas próprias palavras. Este texto não é meu, sabem?

Escreveu-o a Regina d'Avila.

Mas na verdade... está tudo lá, tudo. 

E eu não o saberia dizer melhor que ela...

 

publicado por entremares às 21:36
link do post | comentar | favorito
|
28 comentários:
De Ana Lucia a 2 de Dezembro de 2009 às 22:29
E foi assim que eu me senti quando me apaixonei!
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:07
Oi, Ana Lucia...

É mesmo... para quê eu acrescentar mais?
Está tudo lá.

Beijos.
Rolando
De DyDa/Flordeliz a 2 de Dezembro de 2009 às 22:40
Estou a ler um livro e este enigma parece a parte onde fiquei ontem antes de adormecer.
A personagem não sabe se sonha ou está acordado...
Vive, fala, pensa, sente, coloca em causa o que viveu e acreditou ser correcto durante uma vida inteira.
E eu… pacientemente aguardo o desfecho.
Vou esperar por ti também. Começo a ter "tarimba" não achas?
Beijinho
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:09
Oi, Flordeliz

Como sempre, as tuas entrelinhas são mais luminosas que as linhas. E, enquanto aguardas, já te serviste de um bolinho?

O espelho... de que lado está a realidade?

Beijos
Rolando
De DyDa/Flordeliz a 3 de Dezembro de 2009 às 22:26
Ainda não jantei!

Um bolinho e chá a fumegar
Vinham mesmo a calhar

A realidade está sempre do lado do espelho - segundo Fernando Pessoa:
"O espelho reflecte certo; não erra porque não pensa.
Pensar é essencialmente errar.
Errar é essencialmente estar cego e surdo."

Espero que consigas ver a realidade através do espelho que reflecte apenas o sentir da tua alma.
O outro...são pormenores!

De Jorge Soares a 2 de Dezembro de 2009 às 23:40
Nunca é tarde para descobrir que ainda vivemos, que para além de existirmos, vivemos ... não é?

"O que fazer quando não existem mais palavras para descrever tudo que sonhas e pensas? Sua mão suspensa entre a caneta e o papel e a mente insistindo em voar? E você se perde entre o certo e o errado...entre o bem e o mal...entre o visível e o invisível..."

Viver Rolando... isto é o sinal de que vivemos.

Abraço
Jorge

De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:11
Amigo Jorge...

Viver é complicado. Mas deixar de viver também, passar ao lado também. Fico suspenso de pequenos sinais ( acontece-nos a todos )... e com pequenos sinais construo um mundo.

É real? É imagem?
Só o futuro o revela, não é verdade?

Um grande abraço
Rolando
De Jorge Soares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:18
Nã... viver não é complicado, nós é que somos...

O futuro?.. somos nós que fazemos o futuro... quando descomplicamos...

Todos os que te lemos achamos que és uma pessoa que tem tudo para saber seguir os sinais... por mais pequenos que eles sejam.

Abraço
Jorge
De Existe um Olhar a 3 de Dezembro de 2009 às 01:44
Olá Rolando
Hoje não tenho palavras e tal como tu, tenho de servir-me das palavras de alguém que ambos admiramos:
"Jamais permita que os impasses da vida o perturbem, afinal ninguém pode escapar dos problemas, nem mesmo santos ou sábios. Sofra o que tiver que sofrer, desfrute o que existe para ser desfrutado. Considere tanto o sofrimento como a alegria, como factos da vida" (Budha)

Beijos
Manu
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:15
Manu...

Factos da vida... sim, sem dúvida. Sabes? Custa muito sentir o vento na pele... e nem o conseguir ver. Se o conseguisses ver, se ele tivesse cor, saberias de onde soprava, estarias prevenida. Assim...

Tudo é uma eterna surpresa.

Beijos.
Rolando
De Wania Victoria a 3 de Dezembro de 2009 às 03:10
Rolando o que fazer depois de ler este texto tão lindo, escrito com a pena do coração da Regina...

Só me lembrei desta frase de Carlos Drummond de Andrade que diz: "A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional."


Fica bem!

Bjão carinhoso pra ti

De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:17
Wania...

Por cada queda, um novo erguer. Por cada desalento, uma novo olhar. Por cada inverno, um novo verão. Que somos nós, para além de eternos mutantes? Viver não é adaptar-mo-nos, improvisar, romper barreiras, aceitar desafios?

Aceite-mo-los, portanto.

beijos.
Rolando
De Regina d'Ávila a 3 de Dezembro de 2009 às 03:20
Sim... o que fazer?
E quando terminei de escrever... li novamente... sabia que sabia...
Na verdade sabemos todas estas respostas, só temos medo de enfrentá-las...encará-las ...
Pois o amor apavora... dá tremores...deixa-nos vulneráveis...
Perdemos as referências... perdemos o domínio, já não conseguimos controlar os pensamentos, as ações, as vontades...deixamos de ser donos de nós mesmos...
O amor assombra... assusta... às vezes nos faz recuar...e novamente avançar...e de novo recuar. Nos perdemos... em incertezas...em indecisões...em correntezas...mas é puro medo. Da desilusão, da decepção...só medo.
Ao mesmo tempo em que dá vida, esperança, alegria e um olhar de “tonto” ...viramos adolescentes...passamos a sonhar acordados....a voar sem asas...a sorrir da dor...
A saudade mata, a alma se cala, o coração chora..e ri.
Então...vamos deixar assim....uma história sem fim...
Sim...o que fazer?
Eu sei...você sabe...nós sabemos.

Milhões de beijos(oz),
Regina d’Ávila.
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:22
Sim... o que fazer?
Talvez... viver, sempre olhando para a frente, encerrando assuntos, fechando portas, abrindo novos caminhos, desbravando duvidas. Por vezes parando, como quem toma um simples café.

E de seguida... um novo sorriso, um novo amanhecer.
A história continua.... uma história sem fim. Nestas histórias, são as personagens que traçam os caminhos.
Somos nós.

Eu sei, tu sabes, nós sabemos.
Milhões de beijos(oz)
Rolando
De Sara a 3 de Dezembro de 2009 às 04:38
Lá está... passamos uma vida inteira á procura do "grande amor" e quando ele aparece por vezes ficamos sem saber o que fazer! O mundo parece diferente, sentimo-nos diferentes... apesar de ser o que sempre procuramos, por vezes leva-nos a uma situacao de desconforto em que nao sabemos como reagir, pois estavamos habituados ao nosso antigo "Eu" e nao sabemos como lidar com o nosso ser apaixonado ou mesmo por vezes nem sabemos como agir quando notamos que afinal há alguém que tb gosta de nós! Complicado....

Beijinhos
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:25
Oi, Sara...

Dizes bem, complicado.
Quando tudo é novo.... diferente.... estranho.... apaixonante.... inebriante.... até os pontos cardeais mudam de lugar...

E por isso, às vezes só conseguimos dizer que perdemos o norte...

Beijos
Rolando
De libel a 3 de Dezembro de 2009 às 09:44
Penso sempre que hoje é só o começo de tudo, que se houver algo errado ainda está em tempo de ser mudado, e que, o resto de nossas vidas de certa forma ainda está em nossas mãos.
Uma garrafa meio vazia também é uma garrafa meio cheia. Mas, uma meia mentira nunca será uma meia verdade, será sempre uma mentira.

Retirei do meu post de hoje, acho que se enquadra aqui bem!!..

Beijokas Rolando..
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:27
Libel...

A ideia dos "meios" sempre me assombrou... e assustou. O meio é o fim de muita coisa, o meio nem sempre é a virtude. Acreditar pela metade, confiar na metade, amar na metade, feliz na metade...

Viver no limite, acreditar no limite.
E sentir o vento a bater na cara.

beijos.
Rolando
De libel a 4 de Dezembro de 2009 às 10:30
Rolando nessa perspectiva o meio também pode ser o começo de muita coisa...não é mesmo??...

Eu acredito que pela metade já é muito bom e que a tendência seja para crescer...o limite não cresce para nenhum dos lados...é sem opção!!..É bom, mas passa logo...., prefiro sentir as coisas gradualmente, nem que seja pela metade , mas inteiras na sua essência...é apenas a minha opinião...

Beijokas
De Lis a 3 de Dezembro de 2009 às 12:28
Que bom , voce voltou e trouxe esssas palavras de um coração que já amou intensamente , com suas incertezas , dúvidas entre o que é e o que poderá ser, enfim um coração como só os que amam ou ja´amaram entende bem.
Regina d'Avila é só coração, só quer ser feliz. , uma linda mulher , ainda se redescobrindo Parabéns a Regina pelo belo poema .
.E a gente se redescobre mesmo,Rolando nas palavras dos outros, vocé é perfeito pra escrever e tocar o coração, aflorar sentimentos bons, não se esquive , use suas palvras também , nós esperamos.
E acredito que o amor é tão simples, nada tão complicado , apenas viver , deixar viver, e dar-se totalmente., se entregar as loucuras desse amor. como todos aqueles principios básicos que já possuimos, nem precisamos citá-los , está imbutido nesse amor bonito.Aí, sim , quando isso acontece estamos amando de verdade, plenamente., é só ir pro abraço rsrsrs
deixo carinho , Rolandosem café ao redor da fogueira porque aqui já está quente demais, apenas calores brasileiros .
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:29
Oi, Lis.... é sempre bom ver-te por aqui.

Tens razão, a Regina soube colocar ali tudo aquilo que eu queria dizer. Por isso lhe pedi as palavras emprestadas...

Beijos.
Rolando
De Rosinda a 3 de Dezembro de 2009 às 18:13
Rolando, adoro ver passaros a voar... livres em direcção a novos rumos. Deixe a sua alma livre para a escolha e terá as resposta. Então não haverá espaços vazios . A nossa alma é tão cheia, que haverá sempre algo para escever, para revelar veladamente na sua escrita que considero "com alma"

O mundo está nas mãos daqueles que tem a coragem de sonhar e correr o risco de viver seus sonhos. (Paulo Coelho)
Fique bem...
De entremares a 3 de Dezembro de 2009 às 22:31
Onix...

É esse o segredo, não é?
A escolha.
Nunca existirão escolhas fáceis.
Ou rosas sem espinhos.
Ou versos sem alma.

Por isso, saltamos para o vazio.
pela escolha.

Beijos.
Rolando
De Rosinda a 3 de Dezembro de 2009 às 23:00
Rolando... a solução é a escolha, mas para escolher temos mais que uma opção... porquê escolher a mais insane? Se fôr uma escolha da alma, será sempre para nos tirar do vasio, rosas sem espinhos não há! Eu disse isso nos meus ultimos versitos,mas mesmo com espinhos as rosas tal como a vida, são tão belas!
Fique bem...

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds