Sexta-feira, 27 de Novembro de 2009

Os amantes

 

 

- Gostaste?
Ela seguiu-lhe o olhar, fixando-o na pedra cinzenta.
- Gostei, sim... muito. Creio que o artista conseguiu captar... ternura, creio. Sim, creio que é mesmo isso. Emana carinho, ternura...
As pernas entrelaçadas, imóveis de granito, seguravam os dois corpos; ela aconchegada ao peito, a mão pousada sobre o coração, sentindo-lhe o palpitar das memórias e dos sonhos, ele soerguido e delicado, enroscado mansamente nas curvas dela, aspirando-lhe o aroma dos cabelos soltos.
Uma simples pedra, uma campa rasa – sem flores, ornamentos, longos epitáfios ou dedicatórias. Num dos cantos, simplesmente os nomes, gravados em bruto “Maria e João”.
Nem isso era importante. Poderiam ter sido Romeu e Julieta, Tristão e Isolda, foram simplesmente João e Maria, gente vulgar, vidas invulgares.
Conheceram-se, amaram-se, fundiram-se num só.
E tão súbito como o começo, a morte levou-os, num daqueles acidentes que nunca seriam cabeçalho de jornal ou noticia de televisão – um acidente simplesmente vulgar, mortal, simplesmente mais um acidente. Só isso.
- És incrivelmente bela...
Ela sorriu.
- Claro... aos teus olhos, eu sei...
As duas manchas luminosas, pairando sobre as figuras de pedra, voltearam levemente, misturando as formas, como se de uma única entidade se tratasse – uma forma etérea, sem corpo, simplesmente luz, já liberta da carne e do pó.
Invisíveis ao olhar.
- Vamos? Ou preferes ficar ainda mais um pouco? – quis saber ele.
- Não... vamos embora. Queria simplesmente ver como olhavam para nós, enquanto aqui estivemos.... e gostei que nos tenham esculpido assim...
Deu-lhe a mão. Um simples movimento de luz, tocando-se.
Simplesmente luz.
E lentamente, num abraço invisível ao olhar, subiram de encontro à imensidão azul, juntando-se a todas as outras estrelas brilhantes da noite.
 

 

publicado por entremares às 11:51
link do post | comentar | favorito
|
23 comentários:
De Regina d'Ávila a 28 de Novembro de 2009 às 01:58
Querido encantador Rolando,

Um amor que seja eterno...não só o” enquanto dure”...mas, realmente, eterno.
Será que existe? Eu quero acreditar...consigo acreditar e espero não estar sonhando..
O que achas?
Hoje estou no aconchego do colo da mami, estou passeando pelas Minas...e quer saber...é delicioso. Este sim é um amor eterno. Amor de mãe.

Mil beijos(oz),
Regina d’Ávila.
De entremares a 29 de Novembro de 2009 às 11:52
Querida Regina.

Sei. Ou melhor... SEI.
Tudo começa no acreditar para poder acontecer.
Mas também acredito nesse amor que descreves, o colo da mãe, o aconhego das noites escuras e o acalmar das tristezas numa simples festa, num passar da mão pelos cabelos.
Também acredito que esse seja um amor eterno.

Dois mil beijos(oz)
Rolando

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds