Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

A decisão

 

 

- Pai... preciso de ajuda... preciso da tua ajuda.
 
Sentou-se sobre a relva, os pés descalços a roçar as pequenas pedras, as folhas verdes da relva entre os dedos.
O olhar, bem disfarçado pelos óculos escuros, ocultava-lhe os sentimentos e a alma, a postura imóvel e de contemplação... facilmente confundível com uma prece, uma meditação talvez.
 
- Pai... um conselho... preciso mesmo do teu conselho.
 
As folhas castanhas do outono soltaram-se das árvores e vieram pousar-lhe sobre o colo, sem pedir licença. Como o tempo passava depressa. Já era outono?
Já... já decorrera uma primavera, um verão, o outono já a meio, brevemente nevaria de novo e todo um novo ciclo de vida recomeçaria. Nascer, morrer, renascer... ciclo após ciclo, seguindo a ordem natural de todas as coisas.
O que fazer? Como decidir? O que decidir?
 
Involuntáriamente, levou a mão ao peito, deixou-a descair até ao abdómen. Ainda não era visível, claro... nem tão pouco apareceria em nenhum teste, possivelmente.
Mas ela sabia.
Ela tinha a certeza.
Não necessitava de nenhum teste para ter a certeza, sentia-o simplesmente. E tinha a certeza, sentia aquela presença, aquela nova presença... aquele novo ser que ainda nem conhecia, ainda sem nome.
 
Não contara a ninguém. Como contar? A quem contar?
A mãe não entenderia... nunca a entendera. O pai da criança... como chamar-lhe pai? Um mero descuido de um baile, uma noite de folia, algumas bebidas em excesso... como contar-lhe? As suas amigas – amigas ou conhecidas? – de tempos fáceis... que conselho lhe poderiam dar?
 
- Pai... és o único que me podes aconselhar... fala comigo, como naqueles tempos em que me sentava ao teu colo em frente à lareira...
 
O silêncio do mármore não lhe respondeu.
Ao lado da fotografia, um ramo de flores, o epitáfio gravado na pedra fria.
 
“ Aqui jaz, com eterna saudade da sua esposa e filha... “
 
Esperou pacientemente uma resposta que não veio.
Finalmente decidiu erguer-se, o entardecer trazia já uma aragem fresca das montanhas, o fim de outono revelava-se.
Foi nesse momento que aquela bola colorida apareceu do nada, rolando silenciosamente sobre a relva até embater na campa de mármore. Ressaltou e acabou por se imobilizar bem junto aos seus pé.
De onde surgira?
 
Um grito estridente fê-la olhar para trás.
 
- Atiras a bola... por favor?
 
Não teria mais que uns oito anos, sorridente e irrequieto. Vinha de corrida, fugindo dos pais, algures no parque ali bem ao lado.
 
- Atira, atira...
 
Ela pegou na bola e num gesto rápido atirou-a bem alto, na direcção do rapazito. Deu consigo a sorrir. Talvez que afinal... os conselhos, as respostas... pudessem surgir de formas por vezes tão subtis, tão inocentes, tão quase por acaso... que facilmente passariam despercebidos.
Mas não.
 
Por um brevíssimo instante, sentiu que acabara de obter a sua resposta... no olhar brilhante de um rapazito, correndo atrás de uma bola colorida.
Olhou para trás.
As folhas continuavam a cair, empurradas pelo vento.
 
- Obrigado pai... pelo conselho...

 

publicado por entremares às 12:41
link do post | comentar | favorito
|
22 comentários:
De Jorge Soares a 18 de Novembro de 2009 às 22:03
Há coisas que só o nosso coração nos pode dizer mesmo...

A modos que fiquei sem palavras....

Abraço.

Jorge
De entremares a 19 de Novembro de 2009 às 12:00
Amigo Jorge

Sei que percebeste o recado, porque para bom entendedor... meia palavra basta.

Um grande abraço
Rolando

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds