Terça-feira, 3 de Novembro de 2009

Porque plana o grifo

 

 

 A estranha figura alada descreveu um novo círculo nos céus; procuraria algo, perscrutando tão atentamente os rochedos, lá em baixo no solo?

 

O sol despedia-se vagarosamente das nuvens arroxeadas.

No solo, as criaturas do dia apressavam-se nos seus afazeres diários, preparando a noite que se avizinhava. A noite seria sempre um tempo de espera, um tempo em perigos e sobressaltos, de vida e de morte.

No mundo de todas as coisas vivas, a noite era idêntica ao dia. O dia possuía as suas criaturas, o seu ritmo, a sua luz; a noite despojara-se da luz mas rodeara-se de mitos e lendas, de seres mitológicos que guardavam os portões do crepúsculo e que, em certas noites de lua cheia, até conseguiam imitar o canto das sereias ou o uivo dos lobos.

A noite era simplesmente…. A porta da alvorada.

 

A criatura alada continuou planando sobre os céus, cada vez mais escuros.

O seu corpo, lembrando as formas majestosas de um leão, garras portentosas e cauda arrogante, era encimado por uma cabeça de águia, asas imponentes e penugem brilhante. Um grifo.

 

Um ser prestes a desaparecer dos céus, como já tinham desaparecido antes dele muitas outras criaturas fantásticas, extintas com os tempos antigos, onde a magia agonizava já dentro das páginas bolorentas dos livros dos bruxos.

 

O grifo planava, talvez o seu último voo.

Muito abaixo, sobre os rochedos, as doze sacerdotisas - vestes brancas, grinaldas de flores nos cabelos - esperavam pacientemente.

Câncer, Libra, Gemini, Aures… todas elas idênticas, todas elas tão diferentes, representando os elementos sacros do universo, a terra, o fogo, a água, o ar, as imagens do Zodíaco.

Uma delas seria a bafejada pelo voo do grifo, tal como muitas outras já o haviam sido, por outras criaturas à beira da extinção, em tempos idos.

 

Aquele era, porém, o dia do grifo.

O belo animal planou, descrevendo círculos cada vez mais apertados, mais baixo, mais baixo… até abrir as asas de águia e pousar no centro do círculo formado pelas sacerdotisas.

Durante um longo momento, os olhos aguçados observaram as doze figuras, lendo-lhes a alma. Elas permaneceram em silêncio, esperando pacientemente o cumprir de um destino anunciado.

 

Finalmente, o grifo arrastou-se até junto de uma delas, enrolou-se aos seus pés e, entoando um último lamento, imobilizou-se para sempre.

Libra, a escolhida… inclinou-se sobre a estranha criatura e ao tocar-lhe com os dedos a penugem macia das asas…. Uma claridade desprendeu-se do corpo inerte e impregnou as vestes brancas da sacerdotisa, como uma auréola. O grifo, imóvel … solidificou-se, escureceu…. E em breve nada mais restava, para além da memória, uma estátua de pedra macia, uma estranha criatura alada, de corpo de leão e cabeça de águia, que outrora sobrevoara os céus e vigiara os portões da madrugada.

 

As sacerdotisas partiram, cada um para seu destino, até um novo chamamento.

Excepto Libra, sentada ao lado de uma estátua de pedra.

Olhou para os céus.

 

Em tempos, um grifo planara sobre eles.

 

Nota: Vá lá saber-se porquê, o meu amigo João Meneres não é do signo Balança ( Libra ) como lhe competia pelo Grifo, mas Escorpião. Mas pronto, amigo João, mesmo assim ... cá vai. Uma possível origem para esse nome de blog tão... planante. 

 

publicado por entremares às 06:14
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De grifoplanante a 3 de Novembro de 2009 às 12:17
POIS VÁ LÁ SABER-SE...

A quem pedi um nome, deu-me, entre outros mais, esse.
É uma VIRGEM.
Ma...o nome não lhe pertencia...
Era de um amigo dela, a quem pedi autorização.
Que sim, que dispunibilizesse à vontade...
É também VIRGEM...
Estes DOIS, logo foram convidados para padrinhos!
Convidei mais uma GÉMEA e outro ESCORPIÃO !
Então, nesse caldeirão (ou cadeirão?) estão
2 VIRGENS
1 GÉMEA
2 ESCORPIÕES

( O Júri do DESAFIO...)

E como não sou especialista em signos, mais não posso ajudar,
meu caro Rolando.
De grifoplanante a 3 de Novembro de 2009 às 12:20
Mas, claro está, sinto-me muito feliz por estar nesta sua GALERIA DE ILUSTRES, e por isso lhe agradeço do coração.
De Regina d'Ávila a 3 de Novembro de 2009 às 15:49
Uma imagem ameaçadora, nebulosa
Fantástica e alucinante
Não sabemos como Rolando vai desenrolando...até...que...
Uma sacerdotisa, com certeza, em êxtase
Pelo poder da criação, do temor da extinção..
Paralisada por fim pela solidão.
Um lindo Grifo.
Um lindo conto meu encantador,

Mil beijos(oz),
Regina d’Ávila.
De Óscarito a 3 de Novembro de 2009 às 17:48
Grifos mitológicos? Virgens?
Enfim, já soube de ligações piores...

Um abraço!
De libel a 3 de Novembro de 2009 às 19:35
Foi-se o grifo, ficou a Libra com os ovos de ouro.

Beijokas Rolando
De grifoplanante a 3 de Novembro de 2009 às 21:47
Não, LIBEL , o grifo planante não se foi!
Duvida?
Vê lá no link do meu blog...

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds