Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009

Os Amigos

 

 

- Já terminaste?
- Não... vou já picar... ai...
- Então? Isto não dói nada...
- A mim doeu-me.
- Deixa ver... claro, claro que te dói, idiota. A professora disse que era para picar o dedo, não era para cortares o dedo...
 
Riram-se.
O Rui e O Luis partilhavam a mesma secretária. Em Matemática, Fisica... e também ali, no laboratório. Aula de Biologia.
Um dia de experiências... já depois de observadas as cascas das cebolas, de dissecar os pobres ratinhos de laboratório, de observar as asas das moscas ao microscópio. Naquele dia... eles próprios, os alunos, seriam os observados.
Uma simples picadela ( para o Rui, um valente corte ), aplicar uns reagentes... e já está. Toda a gente ficaria a saber o respectivo tipo de sangue.
Claro que primeiro a professora Olivia, uma respeitável decana da escola, ainda explicou quais os diferentes tipos de sangue, as diferenças, a hereditariedade, o factor RH, etc, etc... mas o que todos queriam mesmo era passar da teoria à prática, e vá de picar os dedos.
Duas mesas à frente, faziam-se experiências não autorizadas, claro. Misturavam-se os sangues nas lamelas, adicionavam tinta,tudo para tentar enganar o resultado da experiência ou até – seria o momento de glória – originar um novo tipo de sangue, desconhecido até à data. Claro que seria a fama, até já tinham arranjado um nome para a descoberta e tudo: Sangue tipo CC.
É verdade que o novo tipo de sangue CC nunca viu a luz do dia, e as suas autoras, a loira Carolina e a morena Conceição lá levaram uma valente reprimenda, sendo obrigadas a repetir toda a experiência.
Mas pronto, aos dezassete anos...
O Luis seguia atentamente a mesa da frente. A Carolina, para além dos seus olhos azuis e uns cabelos cor de mel, tinha aquele condão misterioso de lhe aumentar os batimentos cardíacos, sempre que a via sorrir.
O Rui ria-se.
-  Qualquer dia, ainda ficas com os olhos tortos...
Divertiam-se, eram amigos.
 
Dias depois, a cartolina amarela estava pronta, com um quadriculado cheio de nomes e cruzinhas, muitas cruzinhas, indicando o tipo de sangue de todos os alunos.
- E olhem que todos vocês deviam arranjar um cartão com essas informações, e andar sempre com ele na carteira... nunca se sabe.... – insistira a professora, repetidas vezes
Alzira, Ana, Anabela,... bom, está bem.... estavam todos ordenados alfabéticamente.... Laurinda, Licinio,Luis... Roberto, Rosa, Rui...
Ficaram os dois a olhar para a cartolina, ali pendurada no hall de entrada da escola.
Como era possível que entre tantas e tantas dezenas de nomes... só dois tivessem a cruzinha naquela coluna do sangue do tipo A negativo... que como dizia a professora – conservem-no bem, meus amigos, porque não há muitos – como era possível?
Mas lá estava, sem margem para enganos.
Luis.... A negativo. Rui.... A negativo.
 
Olharam-se de soslaio, um sorriso de cumplicidade estampado nos rostos.
- Será verdade? Somos só nós os dois? – balbuciou o Luis.
O Rui riu-se, bem disposto.
- Olha... cá para mim, em vez de escrever no tal cartão o meu tipo de sangue... sabes o que eu devia escrever? Qualquer coisa assim do género : Chamem o Luis.
O amigo riu-se com ele.
A Carolina apareceu ao fundo do corredor, mas ele nem a viu.
- Vá, anda daí... vamos até ao bar.... hoje pago eu os cafés...
- Tu... hoje pagas? Deves estar doente...
 
E lá foram, rindo e aos empurrões, corredor fora. 

 

 

Nota: A dedicatória é mesmo para o Luis, que vocês nem conhecem, não tem o hábito de se sentar aqui à volta da fogueira. Provávelmente, nem se aperceberá deste conto... apesar de ... aquela aula ter sido real, e o resto também. Mas acima de tudo... é bom ter amigos, sabem? Com A grande.

tags:
publicado por entremares às 09:33
link do post | comentar | favorito
|
19 comentários:
De João Menéres a 2 de Outubro de 2009 às 11:44
Que maravilhosa história !
O RUI MERECIA UM PRÉMIO.
A sua sugestão é um achado que pode SALVAR UMA VIDA com um simples telefonema para qualquer "Luís".
Porque não implementar essa medida?
Há coisas bem mais complexas que também se resolvem...

GRANDE POST, ROLANDO !!!

Enorme abraço.
De entremares a 2 de Outubro de 2009 às 12:21
Amigo João.

Obrigado pela tua visita, já tinha saudades de te ver por aqui.
E é bem verdade o que dizes, coisas bem mais complexas se resolvem...

Um grande abraço.
Rolando
De neli a 2 de Outubro de 2009 às 11:55
Mas que bela história, Rolando!

Então, precisas me apresentar o Rui e o Luis, pois também eu sou A-.
Acreditas?
E olha que é sangue raro, sim, hehehe

Tenha um ótimo fim de semana!

beijinhos,

Neli
De entremares a 2 de Outubro de 2009 às 12:23
Neli...

Que coincidência, hem ?

E então, também nos teus tempos de escola fizeram a turminha toda picar o dedo, ou aí no Brasil as coisas são bem diferentes?

Beijos
Rolando
De Regina d'Ávila a 2 de Outubro de 2009 às 15:04
Pronto...
Agora ficamos curiosos para conhecer o Luiz...
Um amigo assim tem que se unir a turma na fogueira...diga à ele que mandamos abraços e que seu lugar já está reservado...
Olha Rolando você me fez voltar no tempo, e recordar milhões de coisas..Eu também, em meu tempo de criança, fiz um “pacto de sangue” com minha amiga, Lívia...Consistia em furar o dedo...as duas...e juntar os dedos para que o sangue se misturasse...e assim...irmãs de sangue eternamente. Se foi por este fato ou não, não saberei dizer nunca, mas, ainda hoje, ela é minha melhor amiga...Uma amiga com A bem grande...mas, diferentemente da sua história, nosso sangue é totalmente diferente...Ela é doadora universal.. O- (o ou zero negativo) e eu receptora universal AB +.
Bem...se deixar escrevo mil coisas...pois as recordações são muitas...
Adorei todo este sentimento que você fez germinar com seu lindo conto.
Lindo beijo para você e outro ao seu querido “irmão de sangue” Luis.
Regina d’Ávila.
De entremares a 2 de Outubro de 2009 às 16:36
Oi, Regina...

Uma das coisas que invejo quando te leio é aquela ternura, quando falas das coisas que te são queridas...

E sabes? Afinal vocês as duas também são idênticas ( ambas universais, nunca pensaste nisso ).

Três beijos para esse outro lado do mundo - um para a Lívia, que não conheço... e dois para ti...

:)

Rolando
De DyDa/Flordeliz a 2 de Outubro de 2009 às 16:05
Sabes, às vezes sinto essa necessidade de falar de quem gosto ou de quem me marcou.
Não lê. Não sabe que escrevo. Muita menos que a mensagem lhe foi dedicada.
Mas isso será que importa?!...
No momento em que escrevo as palavras voam até onde a minha alma e o meu sentir as levam.
Beijo bom. Como sempre foi bom passar aqui e escutar as tuas palavras.

De entremares a 2 de Outubro de 2009 às 16:37
Olá, Flordeliz...

Deves ter razão, nem é importante que a mensagem seja lida, desde que os sentimentos perpassem por ela...

Mas se for lida... melhor ainda. Alimenta a alma.

Beijos
Rolando
De libel a 2 de Outubro de 2009 às 16:38
A letra "A" inspirou-me sabias??...sabias que és encantador Rolando?...Que linda dedicatória.

Inspirada no Alfabeto/Abecedário deixo-te uma mensagem pela amizade e dedicação.

A migo é aquele que te
B eija com
C arinho e que
D eseja com
E ntusiasmo a tua
F elicidade e
G arante fidelidade para contigo!!!
H umilde é o amigo, que
I ndependentemente do que quer que seja, por ti,
J oga tudo para o alto e
L arga mão dos seus bens
M ateriais e sentimentos
N aturalmente para cumprir com a sua
O brigação que é
P roteger a quem o protege,
Q uerer bem a quem lhe quer e
R espeitar o teu
S ilêncio calado,
T ransformando a sua vida numa
U nica motivação para
V iver,
X eretando se preciso e
Z angando quando necessário!!

Beijinhos e um excelente fim de semana.


De entremares a 2 de Outubro de 2009 às 17:19
Oi, Libel...

Obrigado pela simpatia... a sério. E mil obrigados por aquela dedicatória alfabética... se me autorizares, vou usá-la, bem usada. Os amigos são, na verdade... aquela coisa boa da vida...

Beijos.
Rolando.
De Najla a 2 de Outubro de 2009 às 16:56
Se é bom? É excelente!
São sempre eles, que em todos os momentos estão por perto!

Beijo grande e bom fim-de-semana
De entremares a 2 de Outubro de 2009 às 18:33
Olá Najla.

Sabe bem, não é?
Tê-los por perto.
Mesmo quando estão longe... estão perto.

Beijos e um óptimo fim de semana para ti...
Rolando
De Existe um Olhar a 2 de Outubro de 2009 às 17:59
Olá Rolando
Uma história bonita, que se torna ainda mais enternecedora, sabendo que é verídica.
Ter alguém que podemos chamar, que nos ouve e que está presente mesmo que por muito tempo ausente, é o melhor bem que se pode desejar.
Aproveito para deixar aqui o meu grupo sanguíneo:
O+, se alguém precisar chamem a Manu.

Óptimo fim de semana para ti Rolando
Beijos
Manu
De entremares a 3 de Outubro de 2009 às 00:49
Oi, Manu...

Como sempre, tens o condão de me surpreender.
E os amigos... sim.... são isso mesmo.... estão lá.

O positivo, chamem a Manu...
Mais palavras... para quê?

Muitos beijos, Manu.
Um sábado de muito sol para ti.
Rolando
De Marina. a 3 de Outubro de 2009 às 02:03
" A gente não faz amigos, reconhece-os." (vinicius de Moraes)

Essas sim nos fazem feliz. Essas amizades que sabemos serem para sempre.

belo conto.

bjo, bjo, bjo...
De entremares a 3 de Outubro de 2009 às 09:46
Oi, Marina...

Está cheio de razão, o nosso Vinicius, não é?
Também tiveste aqueles pactos de sangue, na escola, criando amiguinhas, aquelas juras secretas de amizade para toda a vida?

Ah, os amigos... é sempre bom tê-los por perto...

Beijos
Rolando
De Mourão.Lima a 3 de Outubro de 2009 às 03:22
Caro Rolando,

Vim conhecer seu blog, pelo blog da Deusa das artes, por sinal, eu tambem não conhecia.

O que eu posso dizer é: Ainda vale a pena entrar em blogs como o da Deusa e esse seu....

Parabéns para todos..
De entremares a 3 de Outubro de 2009 às 09:49
Olá Mourão.Lima

És sempre bemvindo... e fico feliz que te tenhas sentido bem, aqui à volta da fogueira. Há sempre café acabado de fazer ( o pessoal bebe muito ) e histórias para contar, à luz das estrelas.

Espero que gostes e que te sintas bem.

Um abraço. Volta sempre.
Rolando
De Deusa a 3 de Outubro de 2009 às 11:19
Meu querido Rolando
Voce e esse seu dom Maravilhoso da ESCRITA.
Nos faz voar de verdade nos tempos passados .
AMIGOS ...o que seria de Nós sem eles ?
Gratificante sua escrita.
Abraço Apertado

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds