Terça-feira, 29 de Setembro de 2009

Memórias

 

 

Tirou o capacete, passando a mão pela testa suada. - detestava capacetes, e ter que o utilizar, de cada vez que vistoriava uma obra, constituía um autêntico suplicio.
O inspector da obra, um homem já de meia idade, um par de quilos a mais e já algum cabelo a menos, era, por natureza, uma pessoa sorridente, daquelas que transmitem a sensação de acordar sempre com o pé direito, sem problemas na vida.
Claro que tinha problemas, todos têm problemas. Mas tirando o facto de nunca conseguir esticar o salário até ao fim do mês ou do seu clube favorito de futebol andar pelas ruas da amargura… é verdade, podia dizer que nem tinha problemas.
A saúde, essa era de ferro. A família, apesar de viver longe, reunia-se regularmente e quase todos os fins de semana se encontravam para passeios esporádicos ou churrascadas no quintal. A distância nunca fora impedimento.
 
Abriu a porta e entrou no edifício abandonado.
Não se considerava um sentimentalista… mas naquele momento sentiu um nó na garganta, como há muito não recordava.
A sua escola, a sua velha escola primária…
Como qualquer edifício antigo… chegara a sua hora. Ali seriam construídos mais alguns blocos de modernos apartamentos, um pequeno jardim, talvez até um parque infantil. A velha escola - há muito o sabia - ia ser demolida.
Nunca pensou poder vir a ser ele o responsável pela demolição, a tal pessoa que daria a ordem para alguém carregar no botão, dar a voz de partida para as bulldozer rasgarem as paredes e esventrarem os recantos que ele tão bem recordava.
Fora o mobiliário que já havia sido retirado, ainda existiam aqui e ali algumas cadeiras, mesas partidas, um velho mapa rasgado pendurado numa parede.
Percorreu o longo corredor que dava acesso às salas de aula. Primeiro, a sala da professora Susana, aquela mulher diabólica que parecia ter olhos nas costas, que via tudo e nada deixava escapar… as casas de banho, o gabinete da directora, a sala do professor Josué - bom sujeito, tinha saudades dele - e as portas de acesso ao pátio.
Que saudades…
 
E … aquela porta, ainda da mesma cor, aquele verde garrafa, a sala dos arrumos.
Deteve-se, um sorriso a bailar-lhe nos olhos.
Num flash instantâneo, o tempo recuou até uma manhã de Maio de um ano já longínquo, quando no meio do intervalo da manhã ele brincava no pátio. Teria oito? Talvez nove anos.
Ela chamava-se Luísa e tinha os caracóis mais sedutores que ele conhecera em toda a sua curta vida. Sentavam-se na mesma mesa, até partilharam algumas vezes o lanche no pátio.
Mas naquela manhã de Maio, o sol estava mais quente, as flores mais garridas, um aroma diferente pairava no ar.
E, no escuro da sala de arrumos, com a porta encostada e o coração aos saltos, ele beijara-a nos lábios pela primeira e única vez.
Um momento único, irrepetível como todos os primeiros momentos de qualquer coisa. Um momento que o acompanharia como uma lembrança… uma boa lembrança da sua infância.
 
Voltara a vê-la não há muito tempo, rodeada do marido e dos filhos, uma vida tão normal como a dele próprio.
Não fora nenhuma paixão, não fora nenhum amor, fora simplesmente um beijo.
Simplesmente?
Não, não tão simples.
 
Fora, isso sim… o primeiro beijo.

 

publicado por entremares às 12:44
link do post | comentar | favorito
|
24 comentários:
De Paula Raposo a 29 de Setembro de 2009 às 13:34
O primeiro beijo tem sempre um sabor especial...não igual a qualquer outro que se siga! Beijos para ti (este já não é o primeiro...)
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 14:20
Oi, Paula...

De vez em quando as memórias de infância saltam-nos assim cá para fora, não é?

Muitos beijos, segundos, terceiros.
Rolando
De Jorge Soares a 29 de Setembro de 2009 às 13:43
O primeiro beijo nunca é um simples beijo... é sempre muito mais que isso.. quem não recorda o primeiro beijo?

Mais um belo texto
Abraço
Jorge
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 14:22
Olá Jorge.

É verdade. O passado é passado, mas a primeira vez de qualquer coisa, ainda por cima de um beijo... tem mesmo que ser mágica.

Um abraço.
Rolando
De Najla a 29 de Setembro de 2009 às 14:05
Devido à amnésia que tive, existem muitos momentos da minha vida que esqueci....como por exemplo, o meu primeiro beijo e quem realmente mo deu!
Mas tenho bem presente a minha 1.ª paixão....tudo era tão maravilhoso!

Ainda este domingo estive mais de 14 horas numa escola primária. E à medida que as pessoas entravam na velhinha escola, contavam-nos as suas aventuras na escola e enquanto crianças....é bom recordar!


Um beijo grande
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 14:24
Oi, Najla...

Fiquei assim meio confuso, mas terei muito tempo para te perguntar ( sobre a amnésia ). Mas uma coisa é certa. Quem não tem recordações dos bancos da escola, das mensagens, dos recadinhos em papel, dos esconderijos, dos raspanetes, dos castigos, dos segredos?

Tantas e tantas coisas...

Beijos
Rolando
De GiGi a 29 de Setembro de 2009 às 14:08
Esta história transporta-nos às nossas próprias lembranças. Existem sensações nela.

Principalmente porque há certas coisas que se vão e outras que permanecem. E, algumas delas devem ser destruída a fim de haver uma reconstrução.

É como uma espiral que não para de rodar...
De GiGi a 29 de Setembro de 2009 às 14:16
Uma destas sensações é a de ter olhado esta imagem. Em um disco LP do meu pai, ela está presente na capa. Lembro-me de que ao som da música Dolannes Melodie eu olhava para a imagem, com certo estranhamento. Chamou-me a atenção a escultura, os traços, mas não o beijo. Eu não sabia o que era um beijo.

Atentava-me ao rosto das crianças, à sua posição, às cores. Fazia ligação à música, eu achava que a música combinava com aquilo, com a expressão das crianças.

Apenas consigo sentir quase as mesmas sensações. Mas não posso explicálas, parece impossível.

Só sei que parece algo nato.
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 14:27
GiGi...

Nunca tinha visto as coisas por esse prisma. E também desconhia a escultura como capa de disco. É curioso como a tenhas relacionado. E não te acontece voltares a ouvir a música, quando revemos as imagens?

Beijos
Rolando
De GiGi a 29 de Setembro de 2009 às 23:05
Sim... É um disco muito antigo, não sei nem sua data! Certamente, é do início dos anos 1980, até antes.

Não possi ouvir a música neste momento, apenas mantenho-a na memória, uma vez que não a tenho aqui. No entanto, lembro-me de suas duas versões distintas, de quando aprendi a tocá-la ao piano, das tonalidades e instrumentos de cada versão e qual delas é a mais bela.

Inclusive, do quanto meu pai a aprecia! ^^

Beijos.
De GiGi a 29 de Setembro de 2009 às 23:09
Espera! Falta algo nesta imagem...

Olhando-a novamente agora, percebi que havia algo mais nela... Um cãozinho! Na capa do disco, havia um cachorrinho entre as crianças. Ele tinha a cabeça um pouco tombada para o lado, uma carinha meiga. É isso, teria um cachorrinho aí.

Bem que eu sentia que faltava alguma coisa logo na primeira vez que vi. Porque havia uma sensação a mais: aquela que eu tinha quando analisava o cachorro.
De MARIA a 29 de Setembro de 2009 às 14:24
Adorei a história...
Viag....até ás lembranças da escola, que bom...

1º Beij. mais complicado derivado AMNÉSIA ...LOL


Tenha um bom dia meu Amigo você Merece !

:)) Mágico Abraço
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 14:29
Ai, Maria...

Amnésia, infância e beijos... é complicado.
Guardo muitas recordações de infância... e nem todas são beijos, claro. Mas só por serem da infância... existe logo um carinho por elas, não é?

Pelo menos, eu sinto isso.

Beijos.
Rolando
De lis a 29 de Setembro de 2009 às 15:36
Doces lembranças.
Saudades boas.Primeiro beijjo, com o namoradinho, a timidez nao ajuda e tem que ser rápido mas fica um sabor de bala de caramelo. Inesquecível.
Me dá uma saudade tamanha desses momentos de ternura ,da hora do recreio na escola, de bilhetinhos desenhados , da grande farra que foi a infância.O senhor Tempo se encarregou de transformar tudo em lembranças..
Agradeço-te pelo texto lindo que nos transporta até lá.,acendendo nossa memória.
Meu carinho e beijinhos
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 15:52
Olá, Lis...

As nossas memórias são... pequenos tesouros, não há como evitar. Boas, más ou nem por isso... fazem parte do que fomos, e portanto do que somos. Temos que sorrir para elas, dar-lhes o devido valor...

Muitos beijos.
Rolando
De Maria Augusta a 29 de Setembro de 2009 às 16:17
Que delícia! Nos transporta à nossa infância com a escola, as descobertas, o primeiro amor, o primeiro beijo...lembranças longínquas mas que nos aquecem o coração.
Um grande abraço.
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 17:07
Ah, Maria Augusta...

São as lembranças da infância que ajudam a aquecer o coração, tens toda a razão. Quem é que se esquece da professora primária, dos amiguinhos da infância?

Um abraço.
Rolando
De Sara a 29 de Setembro de 2009 às 17:01
As saudades da escola... do 1° beijo, tão mágico, tão especial...

Um beijo grande para ti! Sara
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 17:42
Oi, Sara...

Ainda te recordas da escolinha? Onde era? No Porto? E quem fazia mais tropelices ? Eles ou elas?

Memórias, não há dúvidas... sempre bom recordar.

Beijos.
Rolando
De Existe um Olhar a 29 de Setembro de 2009 às 18:22
Olá Rolando

Ah... a emoção do primeiro beijo!! Corávamos, parecia que estávamos cometer um enorme pecado...e se alguém descobrisse?
Hoje tudo é diferente... mais soltas, mais desinibidas, sem se preocuparem em esconder, sem medos...se gostam beijam e todos ficam a saber que o A beijou a B.
Penso que daqui a uns anos não haverá quem escreva sobre a magia do primeiro beijo.
Não sei avaliar se será mau ou bom, nem quero fazê-lo. Todo o tempo terá os seus encantos.
Tu como sempre encantaste.
Beijos
Manu
De entremares a 29 de Setembro de 2009 às 20:17
Manu... o pecado...

É verdade, nem me lembrava já disso... era pecado, sim... tudo era pecado. Até as coisas que se faziam na maior das inocências, eram pecado. Hoje... não sei se as minhas filhas, ou quando os tiver, os meus netos... se lembrarão desse momento, do primeiro beijo.

Mas é como tu dizes, todos os tempos têm a sua magia. Diferente de tempo para tempo, é só.

Beijos.
Rolando
De libel a 29 de Setembro de 2009 às 20:04
Já dei voltas e mais voltas e o flash teima em não disparar, quantos anos se passaram??..100, 200, 300...talvez mais, porém aindo sinto o sangue a percorrer nas veias, inclusive estão cada vez mais salientes, a pulsação parece-me estável, os batimentos regulares, os dedos, esses não se mexem sózinhos, recebem instruções e cumprem o seu dever. Um diário, será que existiu??...Naquelas folhas amareladas pelo tempo teria oportunidade de recordar esses tempos, o tal primeiro beijo, estranho e desajeitado, mas cheio de curiosidade e vergonha. Estaria lá desenhado ou seria aquele malmequer seco e espalmado a querer falar. Algures perdi a chave e as recordações trancadas ficaram. Que pena, tenho a certeza que o primeiro beijo foi especial, mas ... quantos anos se passaram??...talvez 100, 200, 300 ..., não pode ser, a vermelhidão do meu rosto não admite tanto tempo...esse beijo ...ainda o sinto!!...

Rolando quanto aos juros.....estou perdoada??..lol..

Beijos fresquinhos

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds