Segunda-feira, 4 de Maio de 2009

Aula de Geografia

 

- Pronto, está bem... eu vou repetir. Vamos tentar realizar um pequeno teste de cultura geral... algo relacionado com a geografia, estão a perceber ?
Pelas caras impávidas e serenas... não, não haviam percebido.
- Não é nada de especial... só pretendo saber se vocês têm algumas noções básicas... já vão ver como é fácil...
E dito isto, o professor aproximou-se do quadro branco e, de caneta em punho, vá de desenhar um mapa mundo estilizado; o continente americano, africa, a europa – esta era sempre a parte mais difícil de desenhar – a asia, a oceania... e uma zona incerta, a imitar vagamente o continente antárctico.
- Pronto, já está... – e afastou-se um pouco, para contemplar a obra – que me dizem ?
- Muito jeitoso... – alvitrou um dos alunos
- E isso é o quê ? – quis saber outro.
Pronto. Era com perguntas daquelas que o pobre do professor Humberto ia ao tapete, directo.
- O que é isto, perguntas tu ? – e o professor lançou-lhe uma ar triste – pois, meu caro Zé Pedro... isto chama-se um planisfério... ou pelo menos, é uma tentativa bem razoável de tentar desenhar um planisfério... representando o nosso mundo, os cinco continentes em que vivemos...
- A professora de Português já nos mostrou um mapa desses... com as viagens dos descobridores – lançou a Ana, contente por finalmente poder intervir. – Disse também que aquele maior, aquele que desenhou ali à direita... é a Ásia, onde estavam as especiarias...
- Obrigado Ana... é verdade, ali à direita... é a Ásia, a quem os antigos chamavam “ O continente misterioso”... mas eu quero é perguntar-vos outra coisa... fazer-vos um pequeno desafio...
Meia dúzia de olhares inquiridores acompanharam-no, enquanto ele se desviava para o canto.
- Quero que cada um de vocês venha aqui ao quadro... e vocês são só quinze, portanto também vai ser rápido... e me venham mostrar... onde estamos...
Fez-se uma pequena pausa, seguida de alguns murmúrios.
- Como assim, dizer onde estamos ? Eu não sei desenhar esses mapas... – argumentava o ruivo da fila da frente.
Todos secundaram a opinião do que falara.
- Eu não quero que venham para aqui desenhar nenhum mapa... bem pelo contrário... eu só pretendo que venham aqui... um de cada vez, e me coloquem o dedo em cima da zona do mapa que corresponde aproximadamente ao local onde estamos... só isso...
- Ao local ? Colocarmos o dedo em cima de Elvas ? – insistiu o ruivo.
- Isso mesmo... sem tirar nem pôr. Achas que és capaz ?
O “ruivo” inchou a peitaça.
- Então não haveria de ser capaz ? Posso ser o primeiro ?
O professor aquiesceu, com um encolher de ombros.
- Vamos a isso...
 
Um após outro, lá foram até ao quadro branco, anotando com a caneta a localização – minúsculo ponto – da cidade pretendida, no imenso planisfério. O “ruivo”, a Ana, o Matias, o “Soneca”, o “Dádum”... cada um deles invariavelmente a rir da localização escolhida pelo colega precedente.
Quando finalmente terminaram...
 
- Muito bem, muito bem... vamos lá então ver o que saiu aqui desta nossa pequena experiência...
Visto ao longe, o planisfério assemelhava-se a uma daquelas figuras de feira, onde os aprendizes de atiradores treinam os primeiros disparos, furando todos os cantos do alvo, acertando na parede e falhando por pouco o alvo do lado.
- Ora bem, ora bem... então temos que... segundo 4 de vocês.... Elvas se localiza algures aqui – e apontava um conjunto de marcas, bem no leste europeu - ... outros 4 preferiram acreditar que nós estamos aqui – e rodeou um conjunto de marcas algures sobre o Brasil – e temos também que 2 votaram nesta zona – e espetou o dedo sobre a península escandinava – e os restantes 4 espalharam-se por esta zona – e ia apontando para África – e finalmente, temos aqui um último ... perdido dos restantes, que preferiu colocar um rabisco... aqui – e apontava para o litoral de Portugal. Portanto, meus amigos, as opiniões dividem-se...
Uma risada miudinha acompanhou a última observação do professor, enquanto este rodeava com a caneta a marca desenhada pelo aluno, algures a meia distância entre Lisboa e Porto.
 
- Ganhou a maioria, não ganhou, prof ? – lá iam soando os mais audazes.
- Aposto mais naqueles dois – resmungava uma das alunas, apontando para as duas marcas sobre a escandinávia.
O professor deixou-os esgrimir argumentos, enquanto contemplava o panorama, desolado. Ora consultava o quadro branco, ora as expressões divertidas da rapaziada, insensíveis a qualquer consequência que dali se pudesse retirar. Por um momento, repetiu para si próprio que era impossível levar a bom porto aquela matéria prima, que chegavam a um décimo ano sem saber localizar num mapa o próprio país onde viviam...
Valia a pena que alguém meditasse sobre o assunto...
 
Levantou o dedo, como se fosse pedir autorização para falar.
- Bom... não querem saber quem acertou?
Um breve silêncio, enquanto o professor Humberto se dirigia ao quadro. Com uma pausa teatral, foi aproximando lentamente o dedo de Africa e depois, numa guinada súbita, pousou sobre a marca mais próxima da localização correcta de Elvas.
- Aqui está o vencedor.
- Não pode ser, professor. Como é isso possível? – insurgiu-se o “ruivo”. – De todas as marcas que aí tem... essa é aquela que nunca poderia ser...
O professor estranhou.
- Essa agora... e queres explicar-me o porquê dessa certeza toda ?
A resposta foi pronta, e sem deixar margem para dúvidas.
- Pois é evidente. Então o professor não está a ver que ele fez uma marca ao pé do mar ? E desde quando Elvas está ao pé do mar ? Desde quando ?
 
 
Nota: Com leves alterações... mas isto aconteceu-me mesmo... em 1999, numa turma dos então chamados cursos profissionalizantes, disciplina de Mundo Actual, onde de um total de 15 alunos... só um foi capaz de localizar Portugal num planisfério desenhado à pressa no quadro. Ficou-me na memória...
 

 

publicado por entremares às 21:28
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Jorge Soares a 4 de Maio de 2009 às 22:45
Eu não sei se fico mais espantado por só um ter uma ideia muito aproximada... ou por haver algum que sabia....

A minha mulher é professora universitária...e olhe que já a ouvi contar coisas piores que essa.

Mais um excelente texto
Jorge
De Najla a 5 de Maio de 2009 às 13:54
Entremares, sou investigadora social. E nos meus mais diversos contactos com escolas (até porque trabalho numa) sou sempre surpreendida pela negativa. Há quem nem sequer saiba a que distrito ou concelho pertencem; a idade aproximada dos progenitores, etc, etc.
É triste! Porque quando eu andava à escola, se me perguntassem onde estaria situado Portugal e eu não soubesse, eu morreria de vergonha. Para eles, agora, é sinal de risadas e até quem não acertar faz "furor"...
Triste!

Comentar post

.mais sobre mim

.BlogGincana


.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. O unicórnio branco

. Nascer de novo

. Noites de lua nova

. Perguntas e Respostas

. Roby, o rei leão

. Onde mora o paraíso?

. Sinais

. Um novo destino

. O profeta

. Ele e Ela

. As doze badaladas

. O salto da alma nua

. O rei morreu... Viva o re...

. Blog Gincana - Novembro

. A dúvida humana

.

. João e o Mestre

. Aniversário

. E depois do adeus

. A pimenta do amor

. O que fazer?

. Sem título

. A mulher invisível

. A escolha dos anjos

. Os amantes

. A Dama do Outono

. Um pedido

. Simplesmente Eugénio

. Carmen Miranda

. A decisão

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.Os ouvintes das histórias

online

.links

.as minhas fotos

.Nº de Navegadores

Get a free html hit counter here.

.Google

.Quem navega...

Locations of visitors to this page

.Gazeta dos Blogueiros

Gazeta dos Blogueiros
blogs SAPO

.subscrever feeds